Museu apresenta o projeto “Meninas nas ciências exatas da Baixada Fluminense”

Laboratório de nanotecnologia é coisa de menina. Através do projeto “Meninas nas ciências exatas da Baixada Fluminense”, quinze meninas de escolas públicas de Duque de Caxias participarão de atividades científicas, incluindo pesquisas em em laboratórios da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). O lançamento do projeto acontece no dia 23 de fevereiro, às 10h, no Museu Ciência e Vida.
O projeto busca, também, promover ações de divulgação científica nas escolas e no Museu Ciência e Vida. Um exemplo está no Festival Meninas na Ciência, previsto para o segundo semestre, com oficinas, painéis e palestras com mulheres premiadas na área científica.
“Carreiras das ciências exatas, engenharias e computação foram colocadas como masculinas durante muito tempo, como se as mulheres não fossem capaz de desenvolver o raciocínio deste campo. Queremos, com esse projeto, estimular a pesquisa científica e, ao mesmo tempo, promover a igualdade de gênero”, argumenta Mônica Dahmouche, coordenadora adjunta do projeto e diretora do Museu Ciência e Vida.
O projeto foi selecionado pela chamada pública “Meninas nas Ciências Exatas, Engenharias e Computação” do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações  (MCTIC).